De férias em Ramsgate

Marisa Fonseca Diniz

Ramsgate é uma cidade costeira localizada no condado de Kent a sudeste da Inglaterra com cerca de 40 mil habitantes, além de ser o destino preferido àqueles que estão em busca de intercâmbio de idiomas.


A cidade é uma amalgamação de dois assentamentos, sendo uma a comunidade de pescadores na costa do vale entre os dois penhascos e a outra a comunidade agrícola que atualmente é a igreja de São Lourenço. Os penhascos são conhecidos como East Cliff e West Cliff sendo áreas totalmente residenciais com parques e praias.


O turismo e a pesca são as principais economias da cidade. A cidade possui uma marina com mais de 800 amarrações e uma gama de negócios relacionados ao mar. The Royal Harbour é o único porto real da Inglaterra devido sua proximidade com a Europa continental, no passado serviu de ponto de embarque durante a guerra Napoleônica e para a evacuação de Dunquerque em 1940.


Ramsgate está à meia hora da cidade de Dover, onde é possível pegar o ferryboat e atravessar o Canal da Mancha aportando em Calais na França. A atração principal da cidade é a Ramsgate Main Stands, além de pubs, restaurantes e cafeterias a beira mar.


A arquitetura da cidade é vitoriana com 900 edifícios listados e mais de 200 nas proximidades do porto. O edifício mais notável da cidade é o Townley House do século 18 projetado por Mary Townley. A cidade tem igrejas notáveis como a St. Laurence in Thanet construída em 1062 e reconstruída durante os séculos com mudanças mais significativas no século XVI.

A biblioteca de Ramsgate foi construída por Andrew Carnegie em 1904, entretanto no ano de 2004 um incêndio a destruiu dois meses após seu centenário de aniversário, sendo totalmente restaurada apenas em 2009.


A estação ferroviária de Ramsgate foi construída em 1924 foi projetada por James Robb Scott e Edwin Maxell Fry com tijolo aparente.


Ramsgate tem história e muitos locais interessantes para conhecer, as pessoas que pretendem fazer intercâmbio não podem deixar de conhecer esta cidade. Particularmente, estudei na Churchill House Language School e morei em Ramsgate no ano de 1990, fiz diversos amigos ao redor do mundo, uma experiência única, portanto recomendo a todos os interessados em adquirir fluência no idioma inglês, além de se divertir. O bom é que a escola oferece diversas atividades no decorrer do dia, e nos finais de semana há pacotes turísticos para conhecer outros lugares e países da Grã Bretanha ou do continente europeu.

Durante o verão, a temperatura pode chegar a 34ºC e no inverno    – 14ºC, o clima é oceânico, meu conselho é vá na época de verão, como a cidade fica a beira-mar o vento do inverno é horrível, o que se salva é a neve.

Veja mais algumas fotos dessa cidade simpática e aconchegante.





Boa viagem e divirta-se!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Cinema é arte


Marisa Fonseca Diniz


A imagem quando interpretada em sua essência é totalmente representativa á semelhança ou aparência de algo. Interpretada pelo lado óptico, a imagem é a figura formada pelo conjunto de pontos que convergem os raios que provêm de determinadas fontes devido à interação com o sistema óptico.

A partir desse ponto de vista de significados reais ou virtuais entendemos que qualquer imagem gerada no processo de visão persistente na retina, um décimo de segundo, faz com que uma pessoa tenha a impressão de estar vendo apenas uma imagem que pode ou não estar baseada na ilusão do movimento.

Dentro deste contexto, o cinema pode ser assim interpretado uma rápida sucessão de imagens paradas que parecem se mover, pois a retina não consegue perceber o intervalo entre elas. A persistência da imagem na retina foi descoberta por Joseph-Antoine Plateau em 1824, inventor de um aparelho que provocava a ilusão do movimento. 


Muitos outros equipamentos com esta mesma função surgiram, porém os primeiros a colocar em prática e projetar filmes foram os irmãos franceses Auguste e Louis Lumière, que inventaram um aparelho chamado cinematógrafo em 1895. Inicialmente, os filmes apresentados por eles eram apenas documentários que retratavam a época vivida, tais como apresentações circenses, teatro de variedades, peças teatrais entre outros.


Em 1899, o francês Georges Méliès teve a ideia de dar enredo aos filmes surgindo assim o filme Viagem à Lua, de Júlio Verne. Os primeiros filmes eram chamados de flicks por projetarem apenas dezesseis fotos por segundo criando dessa maneira um movimento mais rápido do que o real. Mais tarde a técnica foi aperfeiçoada e as câmaras passaram a tirar 24 fotos por segundo, o que dava a ilusão perfeita do movimento real.

Até 1927 os filmes eram mudos, o primeiro filme sonoro foi realizado por Alan Crosland, Estados Unidos, “O Cantor de Jazz”, o som captado era transformado em sinais luminosos e gravado na faixa do filme ao lado da imagem, a faixa nada mais era do que a trilha sonora.

Na década de 1950 o cinema sonoro se desenvolveu muito surgindo assim vários outros equipamentos, tais como as grandes telas cinematográficas, que serviram para derrubar a concorrência televisiva. É interessante lembrar que, os filmes mais antigos duravam de 20 a 30 minutos a exibição, no início da década de 1920 nos Estados Unidos foram lançados os filmes de longa metragem que tinham duração de aproximadamente uma hora e meia.

A maioria dos filmes era feita em grandes estúdios que exigiam montantes altos de investimentos, depois da Segunda Guerra Mundial, os italianos começaram a exibir bons filmes baseados em cenas fotográficas tiradas nas ruas, ou seja, a era neo-realismo tomava conta das telonas pelo mundo todo estimulando o surgimento do cinema em diversos outros países, assim como no Brasil.


Em 1952 foi lançado o primeiro filme 3D anáglifo, que usava cores e filtros para dar à sensação de profundidade, apesar de ter sido um fracasso de bilheterias, a ideia não foi encostada, e em 1970 foi lançado o primeiro filme, Tiger Child, em formato IMAX que apresentava uma resolução de imagem muito superior. No final da década de 1970, o som também evoluiu e começou a utilização de Dolby Stereo, no qual permitia uma maior resolução tecnológica da sua reprodução cinematográfica como pode ser percebida no filme Apocalypse Now.


Em 1995, o filme Toy Story foi o marco do 3D, sendo a primeira animação a utilizar na integra as imagens reproduzidas por esta tecnologia digital. Após a virada do século, em 2002, o filme Star Wars: Ataque dos Clones foi o primeiro filme a ser gravado em suporte digital, ou seja, sem película. O filme Avatar foi um marco da tecnologia 3D no ano de 2009, porém o filme Hobbit foi mais além utilizando o recurso de imagem em 48 quadros por segundo dando mais naturalidade aos movimentos reproduzidos.

Atualmente, o cinema está na era digital e é distribuído através de discos rígidos por meio da internet, links de satélite ou discos ópticos como os discos Blu-ray. Os filmes digitais são projetados usando a alta definição de resolução 2k (2048 × 1080 ou 2,2 megapixels) ou 4K (4096× 2160 ou 8,8 megapixels). E que a evolução tecnológica no cinema siga adiante, vamos aguardar as próximas aplicações digitais nos próximos filmes.

O cinema possui duas vertentes bem interessantes, a saber, o cinema alternativo e o convencional. Os filmes que são projetados nos cinemas alternativos não são filmes de grandes bilheterias e sim mais voltados à cultura com produções em vários países, alguns documentários, mas em geral premiados em circuitos de cinema fechado. Os filmes são excelentes, o preço dos cinemas alternativos é pouca coisa superior aos convencionais, e vale à pena assistir a programação oferecida por estes cinemas.

Filmes interessantes que são exibidos nos cinemas alternativos e que valem à pena assistir:

Paixão Tranquila (Além das Palavras):


Narra a vida da poetisa Emily Dickinson desde a adolescência até a sua morte. Uma mulher tímida, inteligente, com ótimo senso de humor e amizades intensas. A poetisa escrevia praticamente um poema por dia, porém apenas uma parte de sua obra foi publicada em vida.

Paterson:


Um pacato motorista de ônibus da cidade de Paterson, Nova Jersey, Estados Unidos, vira um personagem conhecido por se destacar como poeta.

O Grande Dia:


Quatro jovens separados pela distância dos países onde vivem (Cuba, Índia, Mongólia e Uganda) são unidos pelo desejo de vencer e superar obstáculos, a fim de conquistarem seus sonhos e paixões em busca de uma vida melhor.

Clash:


O filme relata a tensão que tomou conta do Egito após a queda do presidente Mohamed Morsi pelos militares. Parte da população que o apoiava tomou as ruas para reivindicar seu retorno, e durante os protestos um grupo de pessoas de origens diferentes e com opiniões antagônicas acabou sendo preso em uma velha caminhonete.

A Filha:


Após uma longa ausência, Christian regressa à cidade, onde cresceu, para o casamento de Henry, seu pai. Ali ele reencontra Oliver um dos seus melhores amigos de infância e juventude. Este reencontro reabrirá as feridas antigas ligadas a um segredo que todos gostariam de esquecer.

Norman – Confie em Mim:


O judeu Norman tem uma profissão peculiar, especialista em aproximar pessoas que possam formar uma parceria de negócios. Por seu jeito intrometido e muitas vezes inconveniente, Norman pode ser considerado uma pessoa chata. Em uma de suas investidas, Norman conhece e presenteia o político Mica Eshel. Três anos depois seu então novo amigo vira o primeiro-ministro de Israel que lhe dá um cargo de relacionamento na comunidade judaica novaiorquina.

A Promessa:


Michael é um jovem armênio que sonha em estudar medicina, mas não tem dinheiro para arcar com os estudos. Ele promete se casar com uma garota de seu vilarejo na intenção de receber o dote. Com o dinheiro nas mãos Michael viaja à Turquia e realiza seus estudos durante os meses finais do Otomano. 

Neste período conhece a armênia Ana por quem se apaixona, embora ela seja namorada do fotógrafo americano Chris enviado à Turquia para registrar o genocídio dos turcos contra a minoria armênia.

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Cinema é arte de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


A vida de solteira é ótima


Marisa Fonseca Diniz


Enquanto muitas pessoas ficam desesperadas a procura da sua outra metade nos sites de relacionamento, aplicativos e redes sociais, algumas pessoas, assim como eu, estão mais preocupadas em desenvolver atividades e projetos mais interessantes do que depositar a felicidade em outro alguém que mal sabe que você existe.

Ser solteira é a melhor coisa, pois não há aquela preocupação de ser feliz apenas porque está com outra pessoa, não, felicidade não é depender de outro alguém, é saber que você ama sua própria companhia e que não precisa depender de mais ninguém para se sentir de bem com a vida.

Não há nada melhor do que ser solteira, nada de ficar dando satisfações da sua vida para outro alguém, porque fala a verdade ninguém merece gente te chateando e cobrando pelo que você faz ou deixa de fazer, a vida é sua, e ninguém tem nada a ver com isso.


Ser solteira tem muitas vantagens, você sai de casa quando estiver realmente com vontade, sem ter ninguém te chateado quando você está com vontade de ficar o dia todo desfilando de pijama pela casa. Você cozinha quando quer, sem ter a obrigação de fazer todo dia comida para um batalhão. Você pode sumir por um tempo, e ninguém vai nem notar.


A grana está curta? Que tal fazer um programa grátis sem ter que ficar sendo recriminada por isso? Sabe aqueles aplicativos de descontos? Borá lá aproveitar a vida sem peso na consciência. O custo de vida está alto? Solteira pode mudar para uma casa bem menor porque além das despesas diminuírem não vai ter o problema de ter que repartir seus dramas com ninguém, porque espaços minúsculos são exclusivos para solteiros.

Deu aquela vontade de ir acampar? Vai sem medo de ser feliz sabendo que não vai ter ninguém para te dizer que uma cama macia é muito melhor para dormir. Que tal aproveitar o final de semana para fazer um passeio radical? Além de ter a oportunidade de conhecer pessoas legais, o passeio tende a ser muito mais divertido, não se esqueça de registrar o bom momento com a natureza.


Olhou-se no espelho e quis fazer academia, vai, decidiu comer um pedaço de bolo sem culpa, coma, ser solteira é exatamente isso, não se sentir culpada por fazer o que te faz bem. Não importa a opinião alheia, importa sim aquilo que te faz bem e que te traz paz. A pior coisa que há na vida de um ser humano é viver em função do outro, anulando suas próprias vontades.

Acordou de mau humor? Volta para a cama, durma mais algumas horas porque com certeza irá acordar muito melhor. Viva a vida da melhor maneira possível, a vida de solteira não é festa toda hora, mas sim é o encontro consigo mesma sabendo que você é a sua melhor companhia. Se algum familiar ou colega vier te perguntar sobre os namorados diga que você já se casou faz tempo, mas nunca deixe que eles saibam que você casou consigo mesma.


O bom de ser solteira é que quando vem uma boa proposta de trabalho longe de onde se mora, não precisa ficar na dúvida, pois não há ninguém para te impedir de aceitar as coisas boas da vida. Estude, seja independente, caia no mundo sem o peso de ter deixado alguém para trás.

Ser solteira por opção é saber que não depende de mais ninguém para ser feliz, não há nada mais prazeroso do que a própria companhia. Eu tenho vários amigos solteiros por opção, alguns se casaram e não deram certo, e há aqueles que nunca quiseram casar ou se envolver com alguém e são muito felizes. A vantagem de eu ser uma escritora solteira, por exemplo, é que consigo colocar as minhas ideias em prática e no papel e planejo melhor o meu futuro sem ficar dependendo da aprovação de ninguém. A maioria dos escritores ama ser solteiro, pois assim não desperdiçam tempo com algo que não acrescenta em nada.

Muitas pessoas ainda preferem seguir os conceitos estipulados pela sociedade às mulheres, estudar, casar e formar uma família, porém nem todas têm este mesmo pensamento. Estudar sem ter que pedir licença, trabalhar pelo prazer de conquistar seu próprio dinheiro, realizar seus sonhos na certeza de que isso te deixa totalmente realizada faz toda a diferença.

Muitas pessoas acham que as mulheres solteiras estão assim por falta de oportunidades na vida ou porque teve no passado alguma frustração, mas não conseguem entender que muitas amam ser solteiras e não tem interesse nenhum em ter um parceiro. A solidão não é característica da solteirice, tanto é que, há muitas pessoas casadas que se sentem completamente infelizes e sozinhas.

Particularmente eu me sinto muito feliz em ser solteira, e não foi por falta de opção, tenho vários amigos com anos de amizade, e me sinto apta a ir adiante à realização dos meus sonhos. Não me sinto só e nem tenho vontade nenhuma de ter um relacionamento ou de me casar novamente, não sinto esta falta, pois me sinto completa.

É uma pena que muitas pessoas pensem que ser solteira é sair atirando para todos os lados, carente de amor ou de ter alguém do seu lado, não, isso é atitude de pessoas vazias que não gostam da sua própria companhia e necessitam se sentir completas com alguém ao seu lado. Infelizmente ainda há muitas pessoas, que preferem ter alguém na vida, mesmo sabendo que não são amadas ou respeitadas, acabam sofrendo com isso, mas não abrem mão do relacionamento. Prefira antes um bichinho de estimação que sempre que te ver irá ficar abanando o rabo ou feliz por saber que você está ali fazendo companhia a ele, do que ter alguém que te considera um ser invisível e não te admira ou apóia.


Aprenda a ser solteira, não significa viver na solidão, e sim ser feliz e completa consigo mesmo. E viva a solteirice!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho A vida de solteira é ótima de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2017/05/a-vida-de-solteira-e-otima.html.


D&K Negócios – MD Networking


A D&K Negócios, Intermediação e Consultoria, MD Networking trabalha com intermediação de negócios, projetos da construção civil sustentável, energia renovável, rugby e futebol no Brasil e exterior. 


Quem você mandaria para a trincheira?


Marisa Fonseca Diniz


Trincheiras são construções subterrâneas com fins militares destinadas à defesa. Em geral, estas valas são escavadas no chão com cerca de dois metros de profundidades e vários quilômetros de extensão, muito utilizadas em tempos de guerra, sendo um excelente meio estratégico. O inconveniente das trincheiras é que os soldados ficam sujeitos ao frio, fome, doença, tiros, granadas e a própria morte devido aos bombardeios, não sendo nada agradável para quem as ocupa.

E quando a guerra não é entre nações e sim entre pessoas comuns? Quem você enviaria às trincheiras da vida? A bíblia cristã possui diversas passagens que relatam de forma clara as condições para uma pessoa ir para o inferno, vejamos: 

“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro como já antes vos disse que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.” Gálatas 5:19-21

“Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus. “Salmos 9:17

“Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.” Apocalipse 21:8

Não temos o poder de Deus para julgar ninguém, mas há alguns tipos de indivíduos que mesmo sabendo que suas atitudes são abomináveis não se importam e não medem esforços para prejudicar os outros. Por mais que desejemos que todos se redimam de seus erros, muitos não se dão conta do mal que fazem a humanidade.

Quantos são aqueles que passam por nossa vida e mesmo sem serem convidados a ficar não nos poupam de suas maldades? Temos o livre arbitro de recusar estadias indesejáveis principalmente de pessoas que tem o poder de sugar nossa energia, a estes não há como negar que atrapalham e muito nossa vida.


Pessoas com fraquezas de caráter, arrogantes, corruptos, golpistas, fofoqueiros, mentirosos, caloteiros, dissimulados, paranóicos são alguns daqueles que eu não pouparia em mandar para uma trincheira em plena guerra, se bobeasse pagaria para levar.

Conforme o tempo passa, percebemos que algumas pessoas que excluímos de nossa vida insistem em voltar para nos atormentar, a falta de bom senso e inteligência talvez seja o maior problema delas.

Não há nada melhor do que despacharmos estas pessoas de maneira sutil aos caloteiros nossa cobrança, aos dissimulados, paranóicos e com fraqueza de caráter nosso desprezo, aos fofoqueiros nosso silêncio, aos arrogantes nossa educação, aos mentirosos a verdade, aos corruptos a ética, aos golpistas nossas costas, ou seja, para tudo há jeito.

A todas estas pessoas desmemoriadas não há nada melhor do que um bom sumiço, pois felicidade e sucesso incomodam muito, principalmente aqueles seres que vivem na escuridão, mas se nada disso der resultados positivos o melhor a fazer é convidá-los a fazer parte das trincheiras da guerra, que logo apontam por aí, porque no final todos eles encontrarão pessoas iguais ou piores que elas mesmas pela vida, o livre árbitro é nosso, mas a justiça divina nunca falha. 

Que o amor, a sabedoria e a fé nos seja abundante, pois só assim teremos o discernimento de saber o que e quem é bem vindo a nossa vida!


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer todo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Licença Creative Commons
O trabalho Quem você mandaria para a trincheira? de Marisa Fonseca Diniz está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://cafesonhosepensamentos.blogspot.com/2017/05/quem-voce-mandaria-para-trincheira.html.

Curtindo Mogi das Cruzes


Marisa Fonseca Diniz


Imagine um lugar próximo da maior cidade da América Latina, onde se pode aproveitar a natureza sem gastar quase nada? Não se espante, mas esta cidade existe sim, e é Mogi das Cruzes distante da cidade de São Paulo apenas, 62,3 km.

Mogi das Cruzes é um município da Região Metropolitana de São Paulo, Brasil, que possui aproximadamente 425.000 habitantes, sendo o maior e mais desenvolvido município da Região do Alto Tietê. A cidade faz parte do cinturão verde de São Paulo essencial à qualidade de vida dos habitantes ao redor dos grandes centros urbanos, imagine uma grande área verde composta por parques, chácaras, reservas ambientais, jardins e pomares? Assim é Mogi das Cruzes.


O acesso à cidade é muito fácil tanto de carro como de transporte público, sim, e o visitante pode ir de trem para ficar mais romântico e barato o passeio, é claro.

Fonte: CPTM


A passagem de trem custa R$ 3,80 enquanto que a de ônibus varia de R$ 7,50 a R$ 22,00 valores de referência em 2017. Não tem desculpa para não conhecer a cidade.

O clima da cidade é quente e temperado, no verão a temperatura média é de 20º C e no inverno 13ºC, sendo que a temperatura média anual fica em torno de 17º C. O verão não é muito quente, porém chuvoso e o inverno ameno e subseco. O clima agradável da cidade em qualquer época do ano faz com que o visitante possa aproveitar por inteiro os mais diversos pontos turísticos. Vamos conhecê-los?

As pessoas que gostam de aventura ao ar livre não podem deixar de conhecer:

Pico do Urubu: está a 1.400 m de altitude na Serra de Itapety sendo um local ideal aos amantes de vôo livre, tais como, parapente, paraglider e asa delta. No cume da montanha há uma rampa de 370 metros em relação ao marco zero da cidade, onde os ciclistas a utilizam para a descida radical, emocionante.


Do alto do Pico do Urubu é possível ver ao longe a Serra da Mantiqueira e ao fundo a Serra do Mar, pois o cume dá uma visão de 360º aos turistas e aventureiros da região. Coragem e adrenalina são os ingredientes básicos aos amantes de esportes radicais em busca de aventura em Mogi das Cruzes.

Parque das Neblinas: está localizado entre os municípios de Mogi das Cruzes e Bertioga, sendo uma reserva natural de 6100 hectares. O parque oferece trilhas como a do Mirante, onde é possível avistar o litoral de Bertioga e a encosta da Serra do Mar.


No Rio Itatinga é possível a prática da canoagem oferecendo dessa maneira uma beleza estonteante com pássaros, bromélias, palmito e orquídeas.

Cachoeira do Elefante: também conhecida como Cachoeira do Itapanhaú fica na Serra do Mar próximo a Rodovia Mogi-Bertioga, Km 86. O ideal é ir em grupo acompanhado por guias ou pessoas que conhecem muito bem as trilhas, pois para chegar a cachoeira o caminho é longo com subidas e descidas íngremes.

O começo da trilha principal começa a partir do Km 81 da Rodovia Mogi-Bertioga, e para quem quiser ir de ônibus até o local basta embarcar no circular Manoel Ferreira e descer no ponto final, km 77 junto a Balança, e seguir andando.


A trilha é perigosa em dias chuvosos, portanto aproveite os dias de sol e não perca a oportunidade de conhecer a cachoeira.

Pedreira de Sabaúna:


Para as pessoas que curtem rapel, tirolesa ou fazer caminhadas com certeza não podem deixar de ir à Pedreira de Sabaúna, que surgiu décadas atrás quando da construção da Estrada de Ferro Central do Brasil. A pedreira fornecia pedras para a construção da ferrovia, hoje está desativada, mas é um ótimo local para quem gosta de praticar esportes radicais.

Pedra do Lagarto: que tal pegar uma trilha e contemplar a natureza? A pé ou de bike a trilha que leva a Pedra do Lagarto vale a pena conhecer. Para chegar até lá pegue o trem e desça na última estação – Estudantes (linha 11 – Coral) siga pela via lateral, Rua Francisco Rodrigues Filho, do Terminal Rodoviário Geraldo Scavone passe pela rotatória e entre a segunda esquerda na Avenida Antonio de Almeida, siga direto até o início da Estrada Velha do Lambari para iniciar a trilha.


Não esqueça de que é necessário ter um bom condicionamento físico, caso contrário corre o risco de ficar pelo caminho. Siga até o fim da Estrada Velha do Lambari sempre em direção a serra subindo suavemente, apesar de a estrada ser precária e escorregadia vale à pena seguir adiante, não tem como se perder, a vista do alto da pedra é maravilhosa, valendo a pena qualquer esforço.

Àquelas pessoas que não gostam ou não tem preparo físico à prática de esportes radicais podem aproveitar o passeio até Mogi das Cruzes e conhecer outros pontos turísticos.

Casarão do Carmo: o casarão está localizado no Largo do Carmo no centro de Mogi das Cruzes, sendo uma construção do século XIX em estilo colonial feita em taipa de pilão e taipa de mão. O espaço abriga o Museu Visconde de Mauá e oferece diversas atividades culturais e artísticas.


O Casarão possui auditório para 45 pessoas que fica no prédio dos fundos e é utilizado para eventos, palestras, cursos, oficinas e lançamento de livros.

Catedral de Sant’Anna: conhecida também como Igreja Matriz localizada no centro histórico da cidade e é a sede da diocese de Mogi das Cruzes. A igreja é inspirada na arquitetura romana dos primeiros templos cristãos, a fachada é composta por um corpo central que corresponde à nave principal e é ladeada por duas torres.


Há um conjunto de três pórticos em arco que sobressai na formação do adro externo, e sob a torre fica localizado o batistério.

Marco Zero:


O monumento representa a origem da cidade e fica localizado na Praça Coronel Almeida em frente da Igreja Matriz da cidade.

Igreja do Carmo:


A igreja das ordens primeira e terceira do Carmo são datadas do fim do século XVIII e a arquitetura é em estilo barroco rococó.

Teatro Vasques:


Localizado no Largo do Carmo o teatro foi Inaugurado em dezembro de 1902, mas com o advento do cinema e o declínio dos espetáculos teatrais acabou se tornando entre 1936 e 1937 a sede da Câmara Municipal da cidade. A partir de 1980 o teatro foi reformado e reinaugurado como Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, porém somente após sua reforma em 2002 é que o local voltou a se chamar Theatro Vasques.

Mogi das Cruzes possui muitos outros pontos turísticos a serem conhecidos, além de um vasto patrimônio histórico e cultural. Há também o Hospital-Colônia distante a 13 km do centro da cidade, que guarda muitas histórias, não tão boas, mas que faz parte da história do Brasil.


O hospital Santo Ângelo está localizado em um bairro rural cercado por plantações de hortaliças e foi à moradia de muitos portadores de hanseníase – lepra – a partir de 1928. Como não havia cura para esta doença contagiosa, muitos portadores foram separados de suas famílias e isolados da sociedade vivendo em vilas no local.


A partir da década de 1980 com a descoberta da cura da hanseníase o hospital passou atender outras especialidades e atualmente recebe o nome de Hospital Dr. Arnaldo P. Cavalcante.

A cidade de Mogi das Cruzes possui uma economia diversificada, sendo a agricultura a principal atividade e o maior pólo produtor de hortaliças, cogumelos, caqui, orquídeas e nêsperas do Brasil. O pólo industrial da região possui mais de 890 empresas dos mais variados segmentos e o comércio possui mais de 7.200 estabelecimentos e emprega mais de 17.000 pessoas.

A cidade oferece também eventos, exposições, artesanato, espetáculos teatrais e festivais todos os anos, não deixe de conhecer.

Akmatsuri:


É uma festa que acontece na cidade no outono, quatro dias durante o mês de abril, celebrada pela colônia japonesa em agradecimento pela chegada da nova estação celebrando a boa colheita e compartilhando a cultura oriental.

Festa do Divino Espírito Santo:


A tradicional Festa do Divino Espírito Santo acontece todos os anos 50 dias após a Páscoa, une religiosidade com manifestações populares, onde há a mistura da cultura negra, indígena e portuguesa, a festa é composta também por procissões e comidas típicas.

Festival Furusato Matsuri:


O festival é realizado no mês de novembro no bairro do Cocuera  em Mogi das Cruzes, onde os agricultores expõem todos os cultivos da cidade.

Não deixe de conhecer Mogi das Cruzes, pois há diversas atrações para serem visitadas, radicais ou culturais, por um preço bem acessível principalmente àquelas pessoas que não dispensam um passeio de final de semana sem ter que fazer grandes viagens ou gastos para isso.

Veja as demais atrações da cidade:



O Parque Botyra Camorim Gatti, o Centro Esportivo Bunkyo, Parque da Cidade, Parque Centenário da Imigração Japonesa, Associação Nacional de Preservação Ferroviária, Gruta da Serra, Parque Leon Feffer, Fruticultura Hoçoya, Sítio Paraíso das Micro-orquídeas, Fazenda 5 Pedras, Mercado Municipal, Mogi Skate Park, Casarão do Chá, Centro de Cultura e Memória Expedicionários Mogianos, Museu Histórico Profª Guiomar Pinheiro Franco, Casarão da Mariquinha, Pinacoteca de Mogi das Cruzes, Fazenda Rio Grande, Barragem do Rio Jundiaí, Barragem do Rio Biritiba Mirim, Ilha Marabá, Recanto das Águas, Pedra Grande e muitos outros lugares.


Mogi das Cruzes oferece um comércio rico em variedades, além de diversos locais para fazer um lanche ou simplesmente degustar uma boa comida com preços que cabem no bolso, sem exageros, locais simples e confortáveis.

Boa Viagem!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.