E o tempo levou...


Marisa Fonseca Diniz


...Nossas angústias, fragilidades, desilusões, derrotas, inquietações, tristezas, arrependimentos e fracassos. E assim terminamos mais um ano, mais um capítulo da nossa história se finaliza.

Sim, a vida é feita de capítulos, uns bons e outros não tão bons assim, mas o que tem de aconchegante é sabermos que temos o livre arbítrio de tomar as nossas próprias decisões que acreditamos serem coerentes para o novo momento atual, sem nos arrependermos do que deveríamos ter feito no passado.

Não podemos esquecer que as nossas decisões podem fazer toda a diferença nos dias de hoje, já que o mundo ao nosso redor está cada dia mais hipócrita. 
O importante é não nos deixarmos contaminar pela maldade, pelas contendas, mentiras, falsidades, toxidade das pessoas que veem defeito em tudo, que vivem se lamentando pelas perdas.

A vida precisa ser leve, cheia de otimismo, mesmo quando não temos motivos explícitos para isso, a paz deve reinar em nossos corações diariamente, não nos deixando levar por tudo aquilo que tira a nossa felicidade de viver.

Devemos nos colocar no lugar do outro, sentir na pele o que é ter um dia ruim, ter falta de tudo e de todos, ter limitações, isso é ter empatia, muito falado nos dias atuais, mas pouco vivenciado.

Devemos ser gratos pelas oportunidades que nos aparece diariamente, e que muitas vezes deixamos passar porque não conseguimos enxergar o lado bom que aquilo possa nos proporcionar ao longo dos anos.

Na vida não podemos alimentar nossas máquinas internas como se fossemos robôs ferozes prontos ao ataque, a essência humana não pode desaparecer, nós precisamos ser mais benevolentes, pacientes, amorosos com o próximo, nada de ficarmos tramando a queda do outro, temos que dar e ser exemplo de vida. 

Não podemos deixar influenciar pela violência que nos circunda mundo afora, as bobagens da vida moderna tem deixado as pessoas cada dia mais afastadas e frias umas com as outras, não, a vida precisa seguir seu rumo de maneira mais branda.

Os erros do passado tem que servir de degraus de aprendizado nos dias atuais, deixe para trás tudo aquilo que um dia tirou sua paz, os negócios mal sucedidos, os relacionamentos fracassados, as oportunidades perdidas, as amarras da alma que não te levaram a lugar algum.

A vida é única, e não pode ser levada relaxadamente, as pessoas precisam aprender a gostar mais de si mesmas, nada de achar que o outro é a salvação, ame-se, livre-se de tudo aquilo que te prende as supertições, as crendices do mundo moderno, nada de acatar as imposições de uma sociedade corrupta cheia de padrões desnecessários, fuja de tudo aquilo que atrasa a sua vida, seja você mesmo, sem precisar depender da aprovação de ninguém.

Lance fora tudo aquilo que não te elevou espiritualmente, ignore pensamentos negativos, exclua da sua vida pessoas que te atrapalham o caminhar, feche a boca e não saia por aí falando das suas intimidades e relacionamentos. Saiba que os seus sonhos só pertencem a você, ninguém está realmente interessado no seu sucesso, ignore o ter e seja um exemplo na vida de muitas pessoas.

Que daqui em diante este novo capítulo da sua história seja regado de coisas boas, realizações, amor, paz, felicidade, e que nada e nem ninguém possa acabar com seus sonhos, ferir seus sentimentos e muito menos tirar o sorriso dos seus lábios.

A vida precisa ser leve e não pesada, os amigos precisam ser como irmãos e não lobos, os amores precisam ser contagiantes e não sufocantes, o trabalho precisa ser gratificante e não maçante, o sucesso precisa ser conquistado e não imposto, nada é mais agradável do que ser você mesmo e saber que apesar de todas as derrotas ao longo dos anos, você conseguiu sobreviver e aprendeu que nem tudo é do jeito que você quer, mesmo sabendo que nem sempre o caminho escolhido é o melhor.

A lição que fica é que conforme o tempo vai passando, mais e mais ficamos sábios, e que nada nos faz maior e melhor do que os tombos que levamos, a vida é uma eterna metamorfose e só aprende com os erros aqueles que realmente almejam evoluir.

Que este ano que se inicia, sejamos um exemplo claro de determinação, persistência, benevolência, retidão, sabedoria e que todos os nossos sonhos sejam finalmente realizados!


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.

Viajando pela U.S. Route 66


U.S. Route 66
(Parte III – Texas/New Mexico/Arizona/Califórnia)

Marisa Fonseca Diniz


Seguindo a nossa viagem pela histórica US Route 66 entramos no estado do Texas, e nossa primeira parada será na cidade de Shamrock, uma cidade localizada no Condado de Wheeler. A cidade é conhecida pela Conoco Tower Station e U-Drop Inn Café classificados no National Register of Historic Places. O U-Drop Inn foi construído no ano de 1936 ao longo da histórica Route 66, inspirado pela unha presa ao solo, o prédio foi projetado por JC Berry.


 A construção é em estilo art deco com duas torres alargadas com detalhes geométricos, paredes de cerâmica, colunas curvilíneas, e lâmpadas de néon. O prédio possui dois negócios separados, sendo um deles a Conoco Tower Station, um posto de gasolina e o U-Drop Inn um café.


Ainda na cidade de Shamrock vamos visitar alguns outros locais históricos e interessantes ao longo da histórica Route 66 começando pela saída 164 da I-40 em direção a oeste da East 12th Street ao lado sul da Route 66 há um motel dos anos 1950, o Sun’n Sand Motel. No ano de 1953, a Sun’n Sand já possuía 28 unidades incluindo o Maverick Restaurant, nos dias de hoje ainda há uma unidade em funcionamento e chama-se Route 66 Inn.


O Shamrock Ranger Motel na 711 E 12 Street é outra construção que ainda está ativa, porém com outro nome o Shamrock Country Inn, apesar de perder o glamour das suas luzes de neon e a piscina que ficava localizada no pátio, ele mantém seu layout em forma de U.


Na 720 E 12 Street em Sharmrock há outro prédio em art deco o Whiting Bros. Gas Station, um posto de gasolina datado de 1938, os irmãos Whiting chegaram a ter mais de 100 postos de gasolina abertos, porém atualmente o único posto de serviços que continua aberto está localizado na Route 66 no estado do Novo México.


Na 200 E, 12 Street, ainda na cidade de Sharmrock é possível visitar a Big Vern’s Steakhouse com sua gigante bota de vaqueiro vermelha, e seu delicioso pão de cerveja.


O Magnolia Gas Station localizado na 204 N Madden Street na cidade Sharmrock é outro estabelecimento que vale a pena visitar, o posto de gasolina foi totalmente restaurado e o estilo é vintage. A Magnolia Petroleum Company foi criada no ano de 1911, em 1925 foi comprada pela Standard Oil Co. e no ano 1959 pela Mobil.



Saindo de Sharmrock pela Route 66 siga em direção à cidade de McLean, apesar de parecer praticamente abandonada há algumas atrações que devem ser conhecidas que marcam o vilarejo e a Route 66.

Na esquina da Main e 1st Street siga em direção a oeste, vire à esquerda quando chegar na TX-273, cruze em direção ao sul da I-40 e siga a oeste ao longo da estrada frontage sul. Na Country Road 26 siga pela direita e em seguida entre á esquerda em direção a oeste pela South Service Rod. da I-40. Na saída 135 volte pela TX-271 em direção à cidade de Alanreed, onde poderá conhecer a igreja mais antiga na Route 66.


Após a saída desta pequena cidade siga em direção a Conway, onde terá algumas atrações turísticas inusitadas como a Buggy Ranch, I-40 saída 96. Os Crurchfields operavam um posto de serviços e uma loja de lembranças no lado sul da I-40 com o cruzamento da TX-207 em Conway, porém os negócios foram a falência quando foi aberta uma parada exclusiva para caminhões a Love’s Travel Stop do outro lado da I-40 fazendo com que os clientes mudassem para o concorrente. Dessa maneira não sobrou outra alternativa aos Crutchfields do que criar o Ranch Cadillac a oeste da cidade de Amarillo, que são cinco Volkswagen Beetles (fuscas) com o bico enterrado ao chão, porém com a ação do tempo e as pichações as “obras de arte” tiveram um grande destaque na histórica US Route 66.

Na cidade de Amarillo aproveite e vá ao The Big Texan Steak Ranch, na 7701 I-40, que é um motel, mas possui um restaurante acoplado que foi aberto em 1960 no alinhamento histórico da US Route 66. Em 1970 a steakhouse mudou-se para a localização atual, em 1976 um incêndio consumiu o local sendo reconstruído em 1977.


O local é inusitado, pois há uma estátua grande de uma vaca na frente do estabelecimento, o cardápio é farto, e se a fome for muita não hesite em pedir um Texas King, o preço é bom, a comida é saborosa, o ambiente descontraído e é o local preferido dos viajantes.


Foi registrado no National Register of Historic Places no ano de 2007 os 11 km entre o Texas Farm e o Market Road 2161 em Conway TX-207 ao leste e a saída da I-40. Este trecho da US Route 66 é protegido e preservado, sendo um dos caminhos mais longos da rodovia. Esta parte da rodovia faz com que voltemos no tempo, pois a paisagem é cheia de moinhos de vento que bombeiam água fresca para o gado, vê–se fazendas e pastagens ao longo da rodovia, o que nos remete aos anos 30, 40, 50 e 60.

Quem passar pela cidade de Amarillo e for amante da natureza poderá dar uma paradinha para visitar o Palo Duro Canyon State Park , uma área de aproximadamente 110 km2  que protege o segundo maior canyon dos Estados Unidos, o primeiro é o Grand Canyon, com 193.121 metros de comprimento entre 183 e 244 metros de profundidade que se formou ao longos de milhões de anos.


O canyon é derivado de duras árvores de zimbro das montanhas rochosas que ficam ao redor. No centro os visitantes podem comprar livros, cerâmicas, joias e lembrancinhas, além do que é possível fazer um passeio de cavalo pelo parque.

O centro histórico de Amarillo é outro local que deve ser visitado, pois ele está listado no National Register of Historic Places, e ao longo da 6th Street District há treze quarteirões com várias estações vintage de serviço, além de edifícios em diversos estilos arquitetônicos das décadas de 1920 a 1940. 


Saindo de Amarillo pela histórica Route 66, a cidade de Adrian é o Centro Geo-Matemático da Route 66, ou seja, é o ponto intermediário, o meio do caminho da Route 66. Neste ponto há um café com restaurante, loja de lembrancinhas e antiguidades.


Ao longo da histórica Route 66 saímos do estado do Texas em direção ao Novo México, onde a Route 66 atravessa as Montanhas Rochosas e as Montanhas Sangue de Cristo a leste de Santa Fé, as Montanhas Sandia a leste de Albuquerque e as Montanhas Zuni a oeste de Albuquerque. O Rio Grande atravessa Albuquerque, e a área a leste é um planalto que vai na direção ao Texas Panhandle. As temperaturas no verão são moderadas pela altitude com uma média de 26ºC, mas em outras localizações que podem ultrapassar os 38ºC.


O estado é árido, semiárido e muito seco, neva ao longo do estado no inverno especialmente nas montanhas mais altas ao norte em Albuquerque. A cidade de Albuquerque é a maior do estado, Santa Fé a quarta maior cidade e cerca de 500 mil pessoas vivem ao longo da Route 66.

O estado do Novo México possui algumas curiosidades, possui mais de 134 mil nativos americanos e é um importante centro de cultura indígena, onde os principais grupos são Navajo, Apache e Pueblo. Metade da população do estado tem origem hispânica, tanto os colonos originais espanhóis quanto a imigração mexicana posterior.


Durante a viagem pela histórica Route 66 é possível encontrar artesanato tanto dos nativos americanos como dos hispânicos. Na cidade de Albuquerque é possível visitar um dos edifícios mais antigos, a Igreja de San Felipe de Neri datada de 1793 em substituição a igreja original de 1706, que foi concluída em 1719, cujo nome original era São Francisco Xavier, renomeada pelo Rei Felipe da Espanha posteriormente.


Em 1792, a igreja entrou em colapso devido as fortes chuvas dando origem a atual igreja. As torres foram erguidas em 1861, a escola e o convento foram adicionados entre 1878 e 1881.


Na 423 Central Avenue, em Albuquerque encontra-se o Teatro Kimo, um local histórico em estilo Pueblo e Art Déco construído em 1927. O prédio possui três andares e sua estrutura é de aço com paredes de tijolos decorados com azulejos ornamentais. A entrada e a marquise foram remodeladas na década de 1950.
Nob Hill é um distrito do Novo México, onde localiza-se a Universidade do Novo México e abrange quinze quarteirões ao longo da Route 66, ideal para comer e fazer compras.
Na Central Avenue em Albuquerque, o edifício em Art Moderne construído em 1939, Jones Motor Company & Texaco serviu como posto de abastecimento e concessionária de automóveis na histórica Route 66.

O edifício tinha uma torre majestosa e o posto de gasolina era considerado o mais moderno do Ocidente. Atualmente, o edifício foi restaurado e se tornou o Kelly’s Brew Pub.

Quando passamos pela histórica Route 66 percebemos a quantidade de cidades fantasmas existentes ao longo da rodovia, em Novo México não é diferente. A cidade de Mentmore localizada a oeste de Gallup na Route 66 é uma pequena cidade situada no lado sul da antiga Estrada de Ferro Atchison Topeka & Santa Fé, agora NM-118 ao norte da I-40. Ao norte está o Rio Puerco ocidental, Torrivio, trilhas e as antigas minas de carvão.
Na região pode-se encontrar a Mina de Carvão Dilco que foi aberta em 1913 e nomeou o lugar de Dilco, porém alguns anos depois quando o correio chegou a localidade o nome utilizado para designar a região foi Mentmore.

Seguindo pela Route 66 saímos do estado do Novo México em direção ao Arizona mais conhecido como The Grand Canyon State uma região árida com muitos cânions e algumas cordilheiras.


O Grand Canyon é um dos locais mais conhecidos no Arizona, um desfiladeiro de 1,6 km de profundidade esculpido pelo rio Colorado com paredes íngremes e estrados coloridos de rochas, assim como o Monument Valley e a cratera de meteoritos de Barringer muito famosos na região.


Há algumas atrações bem interessantes para serem visitadas ao longo da Route 66, tais como a Querino Canyon Bridge construída em 1929, uma ponte de aproximadamente 24 metros de comprimento e 6 metros de largura feita com um tressle de aço suportado em pilares de aço muito profundos no cânion.


A Route 66 Canyon Diablo Bridge é outro local histórico a ser conhecido. A ponte foi construída por Daniel Luten em 1915, sendo uma ponte feita em arco de concreto armado com calçada em voladouros, o deck foi preenchida com terra. Possui aproximadamente 45 metros de comprimento e 39 metros de extensão. A ponte é uma das onze maiores pontes da Route 66.

A Trails Arch Bridge localizada sobre o rio Colorado foi muito utilizada na década de 1910 utilizando o Needles Ferry, mas uma inundação arrasou a balsa em 1914 de modo que os veículos foram obrigados a atravessar o rio utilizando a Red Rock Bridge da ferrovia, tábuas foram colocadas sobre os trilhos permitindo que os carros cruzassem entre os trens.


A ponte foi construída utilizando o sistema cantilever, onde o arco foi construído em duas metades montadas no chão em cada lado do rio, ambas as seções foram içadas no local e ligadas com uma dobradiça central. Ela mede 243 m de comprimento e sua extensão é de 182 m.

Ao oeste de Kingman e a leste das montanhas encontra-se o Vale de Sacramento e um fluxo intermitente flui ao longo de seu fundo de areia encontrando o rio Colorado na área do pântano de Topock. A estrada de ferro e a I-40 optaram por esta rota mais nivelada para chegar à Califórnia, enquanto isso a Route 66 preferiu o curso que segue através das Montanhas Negras.


As Montanhas Negras são uma cordilheira que se formou a cerca de 20 milhões de anos atrás mais ou menos, quando a lava fluía densamente sobre a base de granito precambriano. No caminho da Route 66 é possível encontrar algumas cabines e postos de gasolina.


Na cidade de Flagstaff visite o Observatório Lowell, o Museu do Norte do Arizona, o museu foi fundado em 1928 e possui 200 hectares de terra ao redor, que inclui um campus, laboratórios e uma coleção de cinco milhões de artefatos dos nativos americanos, além de espécimes e peças de arte, e a casa mais antiga da cidade encontra-se no mesmo local.

Na cidade de Williams ao longo do Distrito Comercial e na rota urbana da US Route 66 há diversos motéis, além da estação ferroviária que ainda mantêm em acervo suas máquinas a vapor, o interessante é que os trens vão até o Grand Canyon.

Saindo do estado do Arizona vamos a última parte da viagem, o estado da Califórnia conhecido como The Golden State, cuja a capital é a cidade de Sacramento. A Route 66 percorre no estado da Califórnia em 536 km de extensão.

Curiosamente a Califórnia é o estado mais populoso dos Estados Unidos, dois terços do estado são cortados pelo Vale Central da Califórnia paralelamente à costa do Pacífico ligada a oeste pelas montanhas costeiras e a leste de norte a sul pela Cordilheira Cascade, a Serra Nevada e as Montanhas Tehachapi.


A Califórnia tem risco relativamente alto de terremoto devido a falha de San Andreas, que passa ao lado do alinhamento da Route 66 entre San Bernardino e Victorville.

No caminho da Route 66 encontra-se o Museu histórico da rede McDonald’s, o primeiro restaurante aberto pelos irmãos McDonald, onde descobriram a fórmula que levou a rede de hambúrgueres a conquistar o mundo todo.


O primeiro restaurante foi aberto em San Bernardino, McDonald’s Barbecue Restaurant, no ano de 1940, mas foi em 1948 que eles criaram a fórmula de um restaurante simples, eficiente e rápido. Atualmente, o local é um museu e pertence ao fundador Juan Pollo.

Quando se sentir cansado da viagem dê uma parada e aproveite para conhecer os diversos motéis da Route 66, o antigo Desert Inn, agora Rodeway Inn foi aberto na década de 1960 ou o Astro Motel aberto em 1964 ou se preferir pode ir ao Travelodge Motel, não importa, pois não faltam boas opções.


A Route 66 passa por diversos locais antes de chegar ao destino final na cidade de Santa Mônica, vale a pena conhecer alguns destes locais tais como: Needles, Goffs, Amboy, Ludlow, Barstow, Victorville, San Bernardino, Landmarks, Pasadena, Los Angeles e Hollywood.



A Route 66 terminava nos anos de 30 e 40 na Lincoln e Olympic Blvd, mas não vire a esquerda e continue reto em direção ao terminal na Ocean Avenue ao norte do cais de Santa Mônica, onde há uma placa identificando o fim da US Route 66.


Alguns dias fora de casa para conhecer um pouco mais os Estados Unidos e suas históricas rodovias que cortam o país de oeste a leste, o que mais desejamos é voltar para a nossa casa e para chegar na cidade de San Francisco a rota que fizemos foi pegar a I-10 E seguindo pela I-5 N e I-580 W até Fremont St em San Francisco, pegamos a saída 2C via I-80 W. Depois, entramos na Pine St até Leavenworth St chegando assim ao nosso destino final. O tempo de viagem da Ocean Avenue, Santa Monica até Nob Hill, San Francisco foi de aproximadamente 6:30 h com trânsito fluindo bem.


Espero que tenham gostado da viagem e que venham outras novas aventuras pelo mundo a fora em 2018!

Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.



Viajando pela U.S. Route 66


U.S. Route 66
(Parte II – Missouri/Kansas/Oklahoma)

Marisa Fonseca Diniz


Nossa viagem continua pela Route 66, porém agora no estado do Missouri, e a primeira cidade é Saint Louis, a maior entre Los Angeles e Chicago. A Route 66 histórica atravessa o estado de Missouri, St. Louis, da parte central ao leste e Joplin no sudoeste ao lado de Kansas e Oklahoma.

A cidade de Saint Louis localiza-se na confluência dos rios Mississipi e Missouri no estado americano do Missouri fazendo fronteira com o estado de Illinois. É interessante saber que em Missouri a antiga Route 66 seguia do centro da cidade de St. Louis até a divisa do estado de Kansas. A rodovia originalmente era a Route 14 que ia de St. Louis a Joplin, e a Route 1F de Joplin que seguia à Kansas, mais tarde foi submetida a dois realinhamentos principais e vários outros ligamentos menores nas cidades de St. Louis, Springfield e Joplin.

As estradas atuais cobrem várias milhas da antiga rodovia incluindo a Route 100, 366, 266, 96 e a 66. Já a I-44 aproxima grande parte da US 66 entre as cidades de St. Louis e Springfield. O primeiro estado a erguer um marcador histórico foi o estado de Missouri. 


O marco histórico da Route 66 está localizado entre Kearney St e a Glenstone Avenue ao nordeste de Springsfield. Quem está em St Louis não deve deixar de visitar alguns pontos turísticos da Route 66, tais como:

Chain of Rocks Bridge localizada na saída da cidade de St. Louis é uma ponte de aço feita em arcos com ângulos de 22º. A ponte está fechada ao tráfego automotivo desde 1967 podendo ser visitada a pé ou de bike.

Saindo do estado de Illinoiis para St. Louis no estado de Missouri, a ponte que cruzava o rio Mississipi era a McKinley Bridge. A ponte é feita de aço truss e consiste em três extensões de 158 m de comprimento cada uma e 33 prateleiras de aço de viga de aço com um comprimento total de aproximadamente 1.270 metros de altura. A ponte foi aberta em 1910 e fechada em 2001, sendo reaberta apenas para pedestres e bicicletas em novembro de 2007, e em dezembro do mesmo ano foi reaberta ao tráfego de carros.

A McKinley Bridge foi o primeiro alinhamento da US Route 66 em todo o Missisispi, e o nome da ponte é uma homenagem ao seu construtor William B. McKinley diretor executivo da ferrovia elétrica interurbana da Illinois Traction System.

Na US Route 66 original em Mitchell é possível encontrar o Luna Café, o Bel-Air Drive-In e o Old Greenway Motel ao longo desse trecho da rodovia, além do Mustang Corral uma loja tradicional da Ford Mustang que fica antes da entrada da IL-157 do lado direito.


Na cidade de St. Louis localiza-se o Gateway Arch, um arco memorial localizado na cidade de St. Louis, Missouri as margens do rio Mississipi. O arco foi projetado pelo arquiteto finlandês Eero Saarinen em 1947 em homenagem a expansão para o Oeste. O arco possui 200 metros de altura e é considerado o monumento mais alto em solo norte-americano tendo sua construção iniciada em 1963 e concluída em 1965, porém só foi inaugurado em 1968.


A MacArthur Bridge é uma ponte truss de 206 metros construída entre St. Louis, estado de Missouri e East St. Louis, Illinois. A construção foi iniciada em 1909 pela cidade de St. Louis com o pretexto de quebrar o monopólio da Associação Ferroviária Terminal sobre o tráfego ferroviário na região, porém o dinheiro acabou antes que o deck fosse concluído.




Há algumas curiosidades na Route 66 que não podem ficar de fora da viagem, entre elas está a maior cadeira de balanço localizada na cidade de Fanning, uma pequena comunidade a oeste do Condado de Crawford no centro do estado de Missouri no sopé de Ozarks.

Em Fanning, o escritório dos correios foi estabelecido em 1887 e permaneceu em funcionamento até 1953, a cidade recebeu o nome de uma família de quatro irmãos, John, Tom, Matt e Jim Fanning provenientes de Limerick, Irlanda, que trabalhavam na estrada de ferro e John Flanning era o chefe fundador da estação ferroviária que começou a funcionar no século 19, quando a St. Louis-San Francisco Railway foi construída na região, o mais interessante é que durante muitas décadas a estação ferroviária, a igreja e o centro social da comunidade funcionavam em sua residência.


O clima na cidade de Fanning é uma combinação de climas subtropicais continentais úmidos e todos os anos mais de sete tornados atingem a cidade. Fanning fica ao longo da histórica Route 66 e da estrada estadual I-44 que o liga Fanning a Springfield, Tulsa e a cidade de Oklahoma no oeste, e com Cuba, Eureka e St. Louis no leste.


A Meramec River US 66 Bridge localiza-se em Eureka, Condado de St. Louis, Missouri. O estado de Missouri tem uma enorme quantidade de pontes e o auge da construção se deu durante a década de 1920. Em 1918, por exemplo, o estado financiou 35 novas pontes, em 1931, o Bureu of Bridges elaborou o projeto de 2.465 pontes. Quando a Route 66 se tornou um rodovia federal em 1926, a infraestrutura existente no estado de Missouri permitiu seu roteamento em todo o estado.

Inicialmente, a Route 66 contornou o rio Meramec trazendo hotéis e ferrovias para a região no final do século XIX. Em 1895, o resort mais luxuoso era o Meramec Highlands, em 1925 abriu na região um resort mais popular, o Times Beach.

A Meramec River Route 66 Bridge surgiu da necessidade de se atravessar o rio, a estrutura da ponte é toda de aço e possui aproximadamente 10 metros de largura e 308 metros de comprimento. 


A histórica Route 66 passa pelo sudeste do estado de Kansas, na cidade de Galena e por lá vale a pena visitar o posto de serviço Old Kan-O-Tex  em estilo vintage da década de 1930. Old Kan-O-Tex era uma rede de postos de gasolina em Kansas-Oklahoma-Texas, e o logotipo da marca era um conjunto de girassóis atrás de uma estrela de cinco pontas.

A estação de serviço praticamente ficou abandonado depois que a nova rodovia passava pela 7º St em 1961, o que contribui para a baixa no fluxo de clientes. Em 2007, o local foi restaurado e possui uma cafeteria de beira de estrada e uma loja de lembranças, a fachada e as bombas de gasolina ainda são as mesmas da década de 1930.

Em Baxter Springs no Kansas, localizado na Route 66 a nordeste da Military Ave e E. 10th St, na parte norte do distrito comercial da cidade é possível conhecer um exemplo típico das estratégias de marketing da década de 1930 durante a Grande Depressão como a estação de serviços da foto abaixo. 


A estação de serviço possui um design cottage agradável para se misturar a paisagem da cidade proporcionando segurança aos viajantes. O estilo cottage possui um telhado acamado com grandes gadgetes, paredes de tijolo, estuque, janelas e chaminé em estilo Tudor Revival, muito semelhante as estações de serviços da McLean Texas Phillips e das estações de serviços Vicksley Philips 66 da cidade de Tulsa em Oklahoma, e da estação de serviço Old Conoco, na cidade de Cuba, Missouri.

No ano de 2003 foi incluído no National Register of Historic Places, e atualmente é um museu.


Na Route 66 na cidade de Baxter Springs há um local que vale a pena visitar, o café, o B & B (banco) e o restaurante, que fecharam em 2013, no início eram alojados no Crowell Bank construído no início da década de 1870 quando a cidade passava por um período de grande crescimento. Segundo a sabedoria popular, o banco foi assaltado em 1876 por Jesse James, um conhecido fora da lei da época.


A Marsh Rainbow Bridge  conhecida como a ponte histórica Arco-Íris fica ao norte de Baxter Springs ao longo da Route 66. A ponte possui dois arcos de concreto com 40 m de comprimento, em 2005 a ponte foi reparada, mas não é aberto ao tráfego de automóveis, apenas pedestres.


O National Cemetery em Baxter Spring no Kansas é um local histórico, pois o governo dos Estados Unidos estabeleceu que as vítimas do massacre do Fort Blair fossem enterradas em uma sepultura comum em 1870. O nome dos 88 homens enterrados no local estão todos gravados no monumento dedicado a eles, atualmente.


O estado de Oklahoma é conhecido como “Sooner State”, o lema é “Laborismo Omnia vincit” (O trabalho conquista tudo), e a capital é a cidade de Oklahoma. Oklahoma está localizado em uma região geologicamente estável, onde não há vulcões e o risco de terremotos é baixo. O clima tem influência do ar úmido que vem do Golfo do México, o ar seco e quente vem do oeste e ar frio e seco vem do Canadá. Esta combinação climática de úmido e subtropical faz com que o estado do Oklahoma sofra com os tornados entre os meses de abril e junho em torno de 62 tornados por ano, sendo um dos mais altos índices em todo mundo.


A cidade de Oklahoma é a maior ao longo da Route 66 no estado do Oklahoma.  No canto nordestino de Oklahoma onde há muitas árvores e colinas encontra-se a cidade de Green Country, que possui alguns motéis clássicos da histórica US Route 66 que ainda se encontram em funcionamento.



Outros pontos históricos do alinhamento original da Route 66 que atravessa a cidade e que devem ser visitadas são o rancho e o memorial de Will Rogers, a mansão de Belvidere, o Claremore Mound e as casas de banho “radium water”.



Diversos são os locais a serem visitados em Oklahoma, o lago Oologah é um deles, que nada mais é do que um reservatório do rio Verdigris que cobre 120 km 2 e possui 339 km de comprimento de terra. A barragem foi construída pelos engenheiros do Exército Americano no início da década de 1950. A barragem possui 42 m acima do leito do rio e 1.219 m de comprimento. O reservatório fornece água potável à cidade de Tulsa, além disso, há uma praia para natação, uma marina, um acampamento, um estacionamento e áreas para fazer piquenique.


Na cidade de Yukon visite a Main Street e o edifício histórico Mulvey Mercantile, além do cruzamento Chisholm Trail.


Visite também a Yukon Mill e a Grain Company que começaram a operar em 1893 como uma pequena empresa de elevador de grãos e um moinho. Em 1903 John F. e Frank L. Kroutil juntamente com A. F. Dobry adquiram a empresa e a expandiram, e no ano de 1915 já estavam exportando os grãos. Na década de 1930, o moinho já produzia por dia mais de 2000 barris de farinha.
Até o nosso próximo artigo, onde passaremos pelos estados do Texas, Novo México, Arizona rumo a Califórnia.


Artigo protegido pela Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. É PROIBIDO copiar, imprimir ou armazenar de qualquer modo o artigo aqui exposto, pois está registrado.